sábado, 11 de julho de 2009

Você pratica Yoga?

Observando o universo do Yoga atual com olhos de pesquisador científico conseguimos separar algumas características que saltam aos olhos de imediato. Não vamos aqui entediar o leitor com uma descrição detalhada das várias facetas deste universo e também dos indivíduos que o compõe.

Porém, algo realmente chama a atenção quando nos jogamos nesta empreitada. É sabido que o ser humano tem o hábito de se unir a semelhantes, de procurar aqueles que possuem maneirismos, gestos, vestuários que de alguma forma se encaixam com espectativas conscientes, ou talvez não, que nutrimos socialmente. Isso acontece no Yoga também, oras! Nada mais natural, ou neste universo não temos pessoas se sociabilizando?

Pare a fita! Neste instante que a vaca começa a ir para o brejo. Eu também gostaria de ter aquele tapetinho antiderrapante bacana, ou quem sabe a nova bermuda que ajuda na elasticidade e liberdade dos movimentos devido ao seu tecido sintético de última geração. Utensílios, apetrechos, coisinhas para optimizar sua prática de yoga. É sempre bom estar munido de auxiliares para dar mais conforto, resultados ou o que seja de bom para a prática. Da mesmo maneira que um ciclista ou um surfista procura estar sempre com o que há de mais moderno para seu esporte.

O problema básico é que deveríamos ir ao centro de yoga ou mesmo aos cursos intensivos para vivenciar o yoga e seus ensinamentos. O que o crescimento da divulgação da prática traz é salutar por um lado, porém nocivo por outro. Mais pessoas praticando, centros de yoga com bastante movimento, publicações mensais sobre o tema, cursos e mais cursos acontecendo Brasil afora. Como é bom ver mais e mais pessoas se interessando pelo tema. Contudo toda festa sempre tem o chato, e o da vez é o gradativo desinteresse pelo o conteúdo, pelos verdadeiros ensinamentos milenares. Pelo o Yoga em si!

Sim, é muito bom passar um mês com novos amigos num curso intensivo, rever pessoas queridas, respirar aliviado longe da rotina estressante do dia-a-dia. Mas isso não é e nem deveria ser o foco principal. Nem na formação e muito menos nas aulas cotidianas que freqüentamos semanalmente pertinho de nossas casas. O yoga, como sabemos, é uma ferramenta para o auto conhecimento, para a auto transformação. Conhecer-se, transformar-se consiste em observar nossos padrões e coloca-los a prova, constantemente. Conhecer-se pode ser bastante dolorido e desafiador. Ouvir e aprender sobre conceitos nobres como amanitvam , a ausência de vaidade citada na Gita, e prontamente enunciar comentários como “isso não é para mim” ou “isso só nascendo de novo”, nunca fará o praticante vivenciar o desejado auto conhecimento citado.
É preciso que além do tapete bacana, do asana super difícil, do pranayama exigente exista uma atitude interna de observação e além disso, a capacidade de admitir nossas características e ser sincero em encarar os fatos, o que precisa ser pontuado com mais precisão, o que temos que começar mudar. Aprender novos conceitos e coloca-los em prática! Em casa, na rua, com amigos e familiares, com amores, com pessoas que convivemos banalmente.

Continuemos a desenvolver o lado prático, o bussiness relacionado ao yoga, mas se vamos vender algo, se vamos levar algo as pessoas, que seja o yoga. Sempre! A cada concessão feita por motivos pouco elevados perde-se também a essência da prática. Sem radicalismos, mas com os pés no chão. Se for para colocar a prática como mero esporte, ou como um caminho para o bem estar, teremos benefícios mas nunca o auto conhecimento.

30 comentários:

Bruna disse...

A aninha acertou quando disse “Bruna, tem um blog de um amigo meu que acho que vc vai gostar”. Adorei, vc está de parabéns! Permita-me espalhá-lo! Abraços!

Ciro Castro disse...

Oi Bruna, agradeço pelos seus elogios. Fique a vontade para espalhá-lo por aí. Um abraço e volte sempre!

:)

Daniel Tonet - Instrutor de Yôga em Goiânia disse...

Legal, Ciro. É mesmo fundamental que o Yôga seja tratado como filosofia, e não como esporte ou algum modismo.

Ciro Castro disse...

Isso ae Daniel, vamos trabalhando para passar essa idéia adiante! Boas práticas aí no cerradão!

abs

mariana disse...

Muito interessante mesmo, eu jogava basquete sei que é diferente dos objetivos do yoga mas tambem tinha estas histórias de se preocupar mais com o tenis do que com os treinos. Abraços

Ciro Castro disse...

Ola Mariana!

Agradeço pelos comentarios, e sua comparação entre o yoga e o basquete ficou de primeira!

:)

Pedro Luiz disse...

Interessante, minha visão do yoga era outra antes de entrar no seu blog. Que pena que aqui no interior do estado quase não temos esta opção. Mas a região está crescendo. Quem sabe não é?! Até mais.

Gabrielle disse...

legal mesmo o seu blog! parabéns! vou voltar sempre!

Cris disse...

To até animando de fazer yoga este semestre, vamos ver se deixo minha preguiça de lado.

Carolina disse...

Eu nunca gostei muito de blogs mas adorei este aqui. Ainda bem que tenho boas amigas para nos indicar coisas legais. Vou pegar seu contato com ela pq eu e o pessoal do meu curso (ed.física) estamos programando uma semana acadêmica este semestre, quem sabe você poderia participar de uma das mesas. Acho que seria muito interessante para esclarecer algumas dúvidas. Beijinhos Carol

Danilo disse...

quero ver se depois da novela da globo essa mulherada toda vai continuar fazendo yoga! Valeu!

Juliana disse...

A aparencia comandando. Tens razão. Legal o blog!

Ana Lu :) disse...

aaaaaaaaaaa eu adoro Fela Kuti!!!!!

Guilherme disse...

O importante é que não seja de boca para fora. É isso que as vezes esquecemos. Legal o blog. Abraços

Jussara disse...

EEEEEE mundão! tudo virando mercadoria, que desgraça.

Paulina disse...

Ainda bem que encontrei esse blog p me dizer umas verdades que eu mesma estava precisando ouvir. Nada é por acaso.

abraços

Paulina Heberle

ॐ Adriana ॐ disse...

Eu sou de Erechim RS e pratico yoga faz pouco tempo mas o que eu posso dizer é que mudou minha vida completamente. Encontrei a dica para sua página na comunidade Yoga: pratique esta arte no orkut, e gostei muito mesmo. Nestas horas que vejo que o orkut não é tão inútil assim. Namaste!

Jorge disse...

Infelizmente o que mais se vê é o yoga como uma "mercadoria". Poucos se mantem firmes da busca de algo a mais e de um conhecimento mais profundo.

Paulo Ricardo disse...

O mais engraçado são aqueles que depois da "iluminação" da pratica, "namaste" para lá e para cá, pegam o carro e no primeiro cruzamento metem a mão valendo na buzina! santa hipocrisia! Valeu!

Patrícia Alves disse...

Eu dava um dedo para ter conhecido o yoga mais cedo na minha vida!

[Marizinha] disse...

Me senti muito bem no seu blog =) tudo de booooooooom!

Luis Carlos disse...

As vezes nos perdemos no meio do nosso próprio ego e esquecemos o verdadeiro sentido do yoga. Parabéns pelas palavras. Abs

Luis Carlos

Ciro Castro disse...

Oi pessoal!

São tantos e tão bacanas os comentários que fica difícil responder um a um. Vai um grande abraço a todos e agradecimentos pelas palavras de carinho.

Yoga sempre!

:)

Cristina ☀ disse...

Depois de ler até estou gostando mais do meu tapete velho de guerra! VALEU!!!!!! =))))))

Neto disse...

Sabias palavras! Namaste!

Inês disse...

Achei seu blog melhor do que as revistas de yoga que eu assino heheehhehe parabéns Ciro Castro!

Inês

Aline disse...

Tava lendo o seu blog todo e acho que o melhor nele é que vc fala do yoga na linguagem do cotidiano! Inês, nestas revistas o que mais tem é propaganda mesmo! Numa página fala da importancia do auto-conhecimento e do abandono dos "desejos" e na outra página instiga o consumismo! Muito legal o blog, parabéns!

Cibele disse...

Muito legal as postagens, adorei o blog! Parabéns!

Carine disse...

Om Shanti Om!

Vi a dica para o seu blog numa comunidade no orkut e agradeço! Adorei estar aqui! Abraços

Alberto disse...

Eu estava precisando ler este texto! Caiu como uma luva para mim. Muito legal mesmo, faço minhas as palavras de todos ai...

Valeu!